Portaria Remota: O que é o controle de acesso no condomínio

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin

Neste artigo vamos minuciar o que é o controle de acesso no condomínio, pois dependendo do porte, cada edifício apresenta particularidades distintas que demandam níveis de segurança específicos em função do padrão e da região onde se encontram, estes pontos devem ser considerados na execução do projeto de portaria remota.  Pois, o controle de acesso a condomínios residenciais baseia-se, sobretudo de acordo com o perfil de acesso para moradores, visitantes, parentes próximos, prestadores de serviços, serviços de entrega de encomendas, profissionais de saúde, e claro não podemos deixar de mencionar as pessoas idosas e aposentados, que poderão exigir, por exemplo, uma atenção diferenciada.

Observações operacionais diferenciadas requerem alguns cuidados para imóveis de alto padrão, onde há a presença de personalidades ou de estrangeiros, como por exemplo, funcionários de consulados e embaixadores.

Por todos estes aspectos será recomendável considerar durante a fase de planejamento e no cronograma de implantação dos sistemas de portaria remota, os níveis de configuração e permissão de controle de acesso, respeitando as diferentes demandas e situações.

1 – O que é o controle de acesso no condomínio?

Desta forma o conceito de portaria remota pressupõe o controle remoto de abertura de fechamento das portas de acesso ao condomínio. Não há como negar uma relação muito estreita entre, portaria remota e controle de acesso. Para garantir que as portas permaneçam fechadas utiliza-se diferentes tipos de fechaduras comuns em controle de acesso, podendo ser fechaduras elétricas, eletromagnéticas ou mesmo eletromecânicas.

A escolha do tipo de fechadura é determinada pelo nível de segurança que se espera aplicar em cada porta. Mas, no sistema de portaria remota são comumente utilizados, botões de requisição de saída, que igualmente possuem vários modelos, sejam eles simples, com LED, botões especiais para PNE e botões em barra para aplicação na folha das portas. Para identificação dos condôminos e posterior abertura das portas, podem ser utilizados TAGS e leitores de RFID, bem como podem ser utilizados cartões pessoais, ou até mesmo leitores biométricos (com tecnologia digital, palm vein, íris).

A aplicação de molas de portas e operadores de porta automáticos é também um requisito considerável que deve sempre ser determinante em qualquer sistema de portaria remota, uma vez que esses acessórios são responsáveis para que uma vez a porta aberta, ela seja automaticamente fechada na sequência.

2 – Portaria Remota: Tecnologias, integração e evolutividade

Mais uma vez, o que determina a escolha das tecnologias de identificação é o nível de segurança esperado (de proximidade ou senha (pouca segurança) ao biométrico (mais segurança)). No que se refere às tecnologias envolvidas, recomenda-se considerar a plataforma de software na qual a solução estará baseada, com relação aos aspectos da sua integração e abertura, visando permitir uma ampla gama de dispositivos compatíveis para atender as demandas de evolutividade e os vários níveis de segurança e confidencialidade.

A título de exemplo, um determinado condomínio poderá decidir utilizar técnicas de controle de acesso baseadas na biometria das impressões digitais dos usuários, ou através do reconhecimento facial, ou mais simplesmente através de tags de proximidade, ou ainda poderá decidir evoluir para um tipo de aplicação mais recente, como a utilização de Smartphones, que permitem identificar os usuários portadores de QR Code.

A portaria remota realizada através de um sistema confiável e com normas de atendimento e operação que obedeçam às regras do sistema torna-se mais segura do que uma portaria tradicional, pois eliminam diversos riscos de erro humano, ou seja, a portaria virtual consente a auditoria de todos os acessos realizados ao condomínio com relatórios de eventos, vídeos e áudios de toda movimentação ocorrida durante determinado período.

3 – Portaria Remota: Como é  o controle de acesso dos moradores?

Portaria Remota: Como é  o controle de acesso dos moradores?

Os moradores utilizarão tecnologias que possibilitam a entrada dos moradores por veículos ou pedestre de forma automatizada no condomínio através dos dispositivos:

  • Cartão ou chaveiro de proximidade
  • TAG veicular, controle remoto
  • Identificação por biometria
  • Reconhecimento facial

Eles podem ser liberados automaticamente, pois já estão pré-autorizados a entrar, ou aguardar a liberação por parte da portaria.

4 – Como é o controle de acesso e liberação dos visitantes?

Em uma situação básica, o visitante chega ao condomínio e interfona, a empresa de portaria remota entra em contato com o morador e solicita autorização de entrada do visitante. Em uma situação avançada, é possível o morador, pelo aplicativo, cadastrar seu visitante ou prestador de serviço para que a empresa de portaria remota já esteja ciente de seus visitantes ou prestador de serviço. Cabe à empresa e o condomínio definir os procedimentos em situações como esta.

5 – Como ocorrem as entregas dos prestadores de serviços, como encomendas e cartas?

As entregas são feitas normalmente. O entregador aciona o interfone e nós entramos em contato com o morador para que ele receba a entrega. Caso o morador não esteja em casa, acionamos o zelador para que ele receba a mercadoria. Há casos que o condomínio não possui zelador ou não exista alguém para receber a mercadoria, neste caso é informado ao entregador a impossibilidade de prosseguir com a entrega e o morador deverá reagendar outra por medidas de segurança.

O controle de acesso em uma portaria remota requer um sistema de biometria, sistema de abertura e fechamento de portões remotos, câmeras, sistemas contra interrupção de energia, sistema de vídeo e em alguns casos, sistemas de sinalização.  Essas soluções vêm sendo aplicadas como aprimoramento dos empreendimentos corporativos há muito tempo, visando o aumento de segurança e redução de custos.

Abrir chat