7 dicas antes de contratar uma empresa de portaria remota

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin

Você sabe como escolher uma empresa de portaria remota?

 

A portaria remota tornou-se uma solução atrativa para condomínios residenciais neste período de pandemia, por conta dos benefícios do atendimento virtual, os acessos são feitos de maneira eletrônica, evitando assim o contato pessoal.

Neste artigo você irá conferir dicas essenciais para escolher bem uma empresa de monitoramento de condomínios.

E diante de uma gama tão infinita no mercado, é essencial entender quais os requisitos a empresa de portaria remota deve oferecer para garantir que a solução seja efetiva e funcione adequadamente para evitar contratempos.

Este tipo de sistema de monitoramento remoto tem tido bastante adesão no setor condominial, mas ainda sim, é uma tecnologia muito recente e que exige do síndico ou gestor uma série de cuidados redobrados antes da decisão de contratação.

Aqui vamos reunir pontos importantíssimos para você fazer uma análise minuciosa e considerar quais aspectos a empresa deve oferecer para esse tipo de serviço e assim compreender de uma forma clara as vantagens do sistema de portaria remota e como tomar cuidados na implantação do sistema.

Confira 7 dicas para contratar uma empresa de portaria remota

 

1 º Elabore o projeto de forma estratégica

 

Antes da consideração para implantar um sistema de monitoramento no seu condomínio é essencial desenvolver o escopo inicial do projeto para evitar atrasos, falhas, desperdícios (de tempo e de dinheiro), bem como o cumprimento dos objetivos esperados.

O primeiro requisito é solicitar ao gestor de segurança que faça uma visita comercial até o edifício para conhecer a estrutura, estabelecer o cronograma e fluxo do projeto.

Ou seja, esta é a etapa que visa compreender as particularidades do condomínio e detectar os pontos de risco para trabalhar a segurança com a máxima efetividade.

Porque cada condomínio tem uma estrutura e porte diferenciados e o síndico ou administrador tem um grande desafio em conduzir bem esse projeto.

O gestor de segurança precisa analisar bem o cenário e entender quais são as dores que o síndico e moradores enfrentam no dia a dia.

Além disso, a escolha de implantação de um sistema de monitoramento exige um detalhamento completo do posicionamento de câmeras com um ótimo ângulo de visão de todo entorno do prédio, integração de sistema de alarme, de sensores e quais as ferramentas serão utilizadas.

2 º Analisar de que forma é feito o acesso ao condomínio

 

De acordo com uma pesquisa apontada pela Polícia Militar do Estado de São Paulo 90% das invasões e assaltos acontecem pela porta da frente em condomínios verticais.

As falhas mais comuns estão relacionadas ao controle de acesso, por isso gestores têm repensado o modelo de portaria tradicional, devido à falta de atenção, despreparo e ingenuidade em não seguir as normas de segurança de forma adequada.

Por isso, é necessária uma projeção prevendo-se um sistema de segurança adequado em edifícios residenciais, considerados de alto padrão. É ideal que seja elaborado um projeto personalizado a fim de se levantar os riscos e vulnerabilidades e sugerir a solução como prognóstico de proteção.

3º Conheça a central de atendimento de controle e operações

 

É primordial que o síndico conheça as instalações da base que controla todo o fluxo de entrada e saída de moradores, porque o coração do sistema de portaria remota passa por uma central de comunicação integrada, que adote um atendimento humanizado com agentes preparados para lidar com diversos tipos de situações, por isso é essencial conhecer seu funcionamento.

A MarshalSeg conta com uma portaria remota 24h monitorada por imagens através da nossa moderna central especializada em minimizar riscos e impactos na rotina de síndicos e moradores.

A Portaria Remota E Os Benefícios Para O Seu Condomínio

Além de estrutura tecnológica autônoma, como centrais telefônicas IP ou gateways, que possibilitam a interface com visitantes e moradores sem que haja a necessidade de um funcionário na portaria.

4º Visite duas ou mais instalações

 

É importante conhecer as instalações já realizadas pela empresa que se pretende fazer a contratação.

Por isso, atente-se nesta etapa e considere pedir avaliações com síndico e moradores de projetos já concretizados, pergunte como foi cada fase do projeto, assim você poderá ter a percepção se estão satisfeitos ou não com o sistema implantado.

Preste atenção na qualidade das instalações, o tipo de tecnologia e se os produtos são alta de qualidade e robustez, pois este é um aspecto que indica a seriedade e a confiabilidade da empresa. Pergunte ao síndico como é a qualidade do atendimento e se há eficiência na resolução de problemas.

5° Decida por um sistema único de acordo com o padrão e tamanho do seu edíficio

 

Leve em consideração decidir por uma empresa que seja autoridade em implantação de sistemas de portaria remota, e que não meça esforços em pensar em estratégias específicas e únicas para o porte do seu condomínio. É essencial que trabalhe com tecnologia de ponta capaz de atender à sua necessidade e exceder as expectativas.

A MarshalSeg segue todas as normas vigentes no mercado de segurança, como a NBR 9077, que visa a adotar estratégias sobre as saídas de emergência em edifício. Busque sempre quem é líder e referência no mercado e evite desperdício de tempo e dinheiro.

6° Qual é o tipo de tecnologia é apresentado?

 

O gestor condominial precisa apurar que tipo de tecnologia será proposta e como será sua adequação. Por isso é preciso garantir que mudanças, adaptações e atualizações possam ser executadas sem grandes impactos no dia a dia de moradores e síndicos.

Há empresas que trabalham com aplicativo QR Code para smartphone que permite a entrada dos moradores no condomínio e assim torna o acesso rápido e seguro.

Para a entrada e saída de veículos, os condôminos usam controles remotos com tecnologia anticlonagem para abrir e fechar os portões. A utilização deste dispositivo permite a passagem com maior controle e segurança, pois é integrado com a função pânico para que seja acionado em caso de emergência.

Há riscos de imprevistos na portaria remota e se acabar a energia?

 

Certifique-se antes de assinar o contrato para instalação de portaria remota que a empresa tenha avaliado riscos e imprevistos como queda de energia, troca de um poste ou oscilações na internet. Na parte de energia elétrica, é necessária uma solução de contingenciamento como nobreak e baterias – que suportam de 4 a 8 horas – mantendo assim o pleno funcionamento de todo o sistema sem comprometer a segurança do condomínio.

7° Suporte e atendimento

 

Quando se trata da segurança em condomínios, oferecer suporte de qualidade e excelência é um fator primordial para evitar vulnerabilidades e falhas mais comuns.

Não é conveniente escolher uma empresa apenas pelo baixo custo, pois isso pode ocorrer por ela pagar baixos salários aos seus porteiros remotos o que acarreta muita rotatividade entre os funcionários que não terão uma percepção acerca do ambiente monitorado.